A chave para atingir todos os seus objetivos financeiros é um orçamento. Sei que você já leu “milhares” de artigos sobre orçamento. Mas este é o artigo que vai revelar um ingrediente especial que vai fazer com que você finalmente consiga começar e, principalmente, manter um orçamento.

O ingrediente especial é objetivos para o seu dinheiro!

O orçamento bem feito não visa somente gastar menos. Gastar menos ou redirecionar uma parte do dinheiro pode ser uma estratégia utilizada para atingir um certo objetivo.  Mas é um meio, não o fim.

O orçamento ideal deve ajudar a pagar pelas coisas que você precisa e ao mesmo tempo ajudar a conseguir as coisas que você deseja. Mas a maioria das pessoas faz um orçamento totalmente sem gosto! Elas se perdem num mar de números que representam apenas obrigações e perdem a motivação para continuar gerenciando suas finanças.

Mas como podemos fazer um orçamento que “dá gosto” de manter?

Comece por aqui: pense em 3 coisas que você gostaria de obter e que requerem dinheiro.  A primeira coisa deve custar menos de $500, a segunda entre $500 e $2,000 e a terceira acima de $5,000.

Objetivos abaixo de $500 podem ser, por exemplo, roupas novas, eletrônicos como telefone e ipad ou uma reserva financeira para o caso de pequenas despesas inesperadas.

Objetivos de $500 a $2,000 podem ser móveis, uma viagem de férias ou um computador.

Objetivos acima de $5,000 podem ser, por exemplo, um carro novo, $10,000 para dar de entrada em uma casa própria, colocar $25,000 numa conta de aposentadoria, entre outros.

O exercício é para ajudar a ilustrar o processo de traçar objetivos financeiros.

DECIDA AQUILO QUE VOCÊ DESEJA

Pode parecer simples a princípio, mas para quem não tem o hábito de traçar objetivos pode levar algum tempo de reflexão. Existem algumas estratégias para facilitar o processo. Ao pensar em objetivos, existem 3 regras essencias a serem seguidas.

  1. Primeiro, objetivos devem ser pessoais: Aquilo que você deseja deve ser para melhorar a sua vida e trazer satisfação para você pessoalmente e sua família. Atingir o objetivo vai exigir dedicação, trabalho e escolhas. Se você vai fazer todo esse esforço, é melhor ter certeza de que é realmente algo que você quer.
  2. Segundo, objetivos devem ser específicos: Se um de seus objetivos for, por exemplo, um carro novo, você deve especificar qual o carro, se vai adquirí-lo novo ou usado, se vai pagar em dinheiro, financiar ou fazer um lease, etc. O mesmo objetivo de ter um carro novo pode ser atingido de várias maneiras diferentes e você precisa saber exatamente o número em direção ao qual você está trabalhando.
  3. Por último, objetivos devem ser flexíveis: Aquilo que você deseja pode mudar com o tempo. Objetivos podem evoluir, crescer, diminuir, se dividir em múltiplos objetivos ou até desaparecer. Tudo bem, desde que os objetivos continuem em alinhamento com as duas primeiras regras.

Dividir grandes objetivos em pedaços menores pode aumentar muito a probabilidade de chegar ao objetivo final. Objetivos menores não intimidam tanto e a satisfação de atingir objetivos intermediários ajuda a manter a motivação para continuar o processo.

Para concluir, gostaria que você pensasse por um minuto na diferença entre um orçamento sem objetivos (uma simples planilha de números) e um orçamento com objetivos, desejos e sonhos esperando para serem realizados.

O primeiro orçamento olha para você e diz: “É preciso cortar os gastos com restaurantes.” A sensação aqui é de privação, o que não é uma emoção positiva.

O segundo orçamento olha para você e diz: “Se você comer fora uma vez a menos e economizar $25 por semana, pode ter aquele ipad mini em apenas 2 meses!”. Aqui, a sensação é de controle e motivação.

Qual desses dois tipos de orçamento você acha mais fácil de conseguir gerenciar consistentemente a longo prazo?